O CS Gomes Gaioso convoca umha concentraçom para o dia 27 de junho, às 10:30 horas, diante dos Julgados da Corunha, em apoio da activista Aida, para quem a procuradoria pede ano e meio de prisom e multa económica por um alegado delito de atentado a autoridade. A activista teria produzido varias lesons a dous membros da UIP ao os deitar no chao. A inverossimil versom policial contrasta com as das testemunhas que afirmam terem sido os agentes os agressores.

 

Foto de Centro Social Gomes Gaioso.

 

A activista que manhá será julgada participara no 6 de outubro do passado ano num protesto pacífico no PALEXCO pola presença num acto público do Rei Filipe VI de Espanha, altos cargos do ámbito financeiro e o presidente da Cámara Municipal da Coruna. Segundo o relato policial, a activista teria deitado por terra dous membros da UIP -que vestiam protecçons, defensas e capacete- de umha pancada no peito, produzindo diversas lesons a ambos os agentes (sic).

Meses depois foi notificada polos julgados da Corunha da acusaçom de atentado à autoridade. Umha acusaçom baseada na identificaçom através da fotografia do seu perfil no Facebook e doutra publicada em La Voz de Galicia com motivo de umha concentraçom de apoio às famílias despejadas das suas vivendas em Elvinha.

A vista, fixada em princípio para o 31 de janeiro, fora suspendida polo juiz que para justificar a sua decisom alegou que esta primeira convocatória tinha como único motivo a tentativa de procurar umha conformidade entre a acusada e o procurador.