You are hereSon revoltas seculares

Son revoltas seculares


POR QUÉ SÓ SE FALA DE RELIXIÓN?

Se se podem deitar abaixo ditaduras na Europa - primeiros os fascistas, depois os soviéticos - por que não se podem derrubar ditadores no grande mundo árabe muçulmano? E - só por um instante, pelo menos - deixem a religião fora da discussão.
Artigo | 21 Fevereiro, 2011 - 03:07 | Por Robert Fisk
Mubarak alegou que os islamistas estariam por trás da Revolução Egípcia. Ben Ali disse o mesmo, na Tunísia. O rei Abdullah da Jordânia vê uma sinistra mão escura - da al-Qa'ida, da Irmandade Muçulmana, sempre mão islâmica - por trás da insurreição civil em todo o mundo árabe. Ontem, as autoridades do Bahrain descobriram a amaldiçoada mão do Hezbollah, ali, por trás do levantamento xiita. Onde se lê Hezbollah, leia-se Irão.
Por que, diabos, tantos intérpretes cultos, embora impressionantemente antidemocráticos, insistem em interpretar tão mal as revoltas árabes? Confrontados por uma série de explosões seculares - o caso do Bahrain não cabe perfeitamente nessa classificação - todos culpam os islâmicos radicais. O Xá cometeu o mesmo erro, só que ao contrário: confrontado com um óbvio levantamento islâmico, pôs a culpa nos comunistas.
Os infantilóides Obama e Clinton acharam explicação ainda mais esdrúxula. Depois de muito terem apoiado as ditaduras "estáveis" do Médio Oriente - quando tinham a obrigação de defender as forças democráticas -, resolveram apoiar os clamores por democracia no mundo árabe, justamente quando os árabes já estão tão absolutamente desencantados com a hipocrisia dos ocidentais, que não querem os EUA ao lado deles. \Os EUA interferem no nosso pa&iacute