XORNALISTAS INVESTIGATIVOS DESMONTAN RELATO OFICIAL

Caso Altsasu: anatomía dunha vinganza do Estado

Caso Altsasu: anatomía dunha vinganza do Estado

A sala de apelacións da Audiencia Nacional española revisará os días 23 e 24 de xaneiro a sentenza do caso de Altsasu, que condena oito xovens da vila, despois dunha briga con axentes da Garda Civil fora de servizo. Os xornalistas Aritz Intxusta e Aitor Agirrezabal analisan en chave crítica o papel que o poder político, mediático e xudiciario xogaron na hora de xerar un relato dos feitos vinculado á etiqueta “terrorismo”.


Ler mais...

CONFRONTOS NA BAIXA COM PESSOAS FERIDAS E DETENÇÕES

Lisboa: polícia reprime manifestantes “segundo critérios cromáticos (cor da pele)”

Lisboa: polícia reprime manifestantes “segundo critérios cromáticos (cor da pele)”

Os distúrbios ocorreram no final de um protesto esta segunda contra a atuação da PSP o passado domingo no Bairro da Jamaica, no Seixal, onde, segundo a família de um homem que foi detido, os agentes usaram violência excessiva e injustificada. O realizador João Salaviza denunciou à comunicação social a violência na Baixa “segundo critérios cromáticos (cor da pele)” e afirmou que a manifestação ocorria de forma pacífica até a polícia intervir.


Ler mais...

SEIS LIÇÕES DESTA GUERRA GLOBAL

A guerra às drogas não funciona. O que podemos aprender com o seu fracasso?

A guerra às drogas não funciona. O que podemos aprender com o seu fracasso?

Em todos os lugares onde a guerra às drogas foi superada, eu vi o mesmo padrão. De primeira, é extremamente controverso e as pessoas pensam que é loucura – e então elas veem os resultados. Não é perfeito – eles certamente ainda têm problemas no Colorado, em Portugal e na Suíça, estados que descriminalizaram todas as drogas ou as legalizaram – mas há uma melhora tão radical que a oposição às reformas simplesmente deixa de importar.


Ler mais...

NO CHAN CUNHA FERIDA NA CABEZA

Falece na comisaria de Ciutat Vella mozo sirio de 18 anos sob custodia dos Mossos d’Esquadra

Falece na comisaria de Ciutat Vella mozo sirio de 18 anos sob custodia dos Mossos d’Esquadra

Un mozo de 18 anos morreu sob custodia policial dos Mossos d’Esquadra na madrugada do pasado domingo na comisaría de Ciutat Vella de Barcelona. O falecido, de nacionalidade siria, fora detido pouco antes das 8:00 horas por unha patrulla da policía por un suposto delito de furto. Após a detención o detido fora conducido ao centro médico Pere Camps por “sentirse mal”, onde foi atendido. Despois a patrulla volveu levalo á comisaría de Ciutat Vella, onde faleceu.


Ler mais...

COLLECTION #1 DÁ A ENTENDER QUE FOI SÓ O PRIMEIRO PASSO

Arquivos com mais de 770 milhões de endereços de e-mail e senhas postados em fórum online

Arquivos com mais de 770 milhões de endereços de e-mail e senhas postados em fórum online

Esta semana o especialista em cibersegurança, Troy Hunt, revelou em seu blog a existência do maior vazamento de senhas de que se tem conhecimento em toda história. Uma coleção de arquivos com mais de 770 milhões de endereços de e-mail e senhas – de múltiplos sites e plataformas — foi postado em um fórum online. O nome do arquivo dá a entender que foi só o primeiro: Collection #1, foi o título escolhido pelo responsável pelo vazamento das informações.


Ler mais...

PELO MENOS MAIS DUAS PESSOAS TORTURADAS ATÉ A MORTE

Anistia Internacional: Autoridades da Chechênia retomam repressão homofóbica

Anistia Internacional: Autoridades da Chechênia retomam repressão homofóbica

Muitas pessoas LGBTI na Rússia ainda estão traumatizadas com a perseguição de 2017 que viu dezenas de homens gays na Chechênia sequestrados e torturados e outros mortos. A Rede LGBT recebeu relatos sobre novos sequestros de pessoas gays e lésbicas e sua detenção secreta em Argun em 28 de dezembro de 2018. A organização, que ajudou dezenas de gays e lésbicas a escapar da Chechênia, estima que cerca de 40 pessoas estejam atualmente detidas.


Ler mais...

O SEGUIDOR DO CLUBE AMEAZADO CON SANCIÓN DE 3.000€

Retiran unha bandeira do Athletic no campo do Villarreal por simboloxía «case anarquista»

Retiran unha bandeira do Athletic no campo do Villarreal por simboloxía «case anarquista»

O último caso denunciado de persecución de bandeiras nos recintos deportivos cae de cheo no absurdo. Un seguidor Athletic Club entrou no estadio da Cerámica cunha bandeira branquivermella en que o ‘A’ e o ‘C do clube se sobrepoñen na parte esquerda. No descanso, membros de seguranza foron retirala e, ante os protestos do seguidor do Athletic, explicaron que o facían porque a Policía española entendía que tiña simboloxía «case anarquista».


Ler mais...

VIOLÊNCIA POLICIAL AUMENTA EM FRANÇA

Pessoas que perderam umha mão (4), um olho (14), ficaram surdas (1) ou morreram (1)

Pessoas que perderam umha mão (4), um olho (14), ficaram surdas (1) ou morreram (1)

Ainda antes da manifestação dos coletes amarelos deste sábado, que juntou 84 mil pessoas, jornalistas e associações contra a violência policial contavam, pelo menos, 97 feridos graves por intervenção de armas policiais. 4 pessoas perderam uma mão, 14 perderam um olho e 1 ficou surda, na maior parte dos casos devido às “balas de defesa” e granadas de gás lacrimogéneo GLI-F4. Zineb Redouane, de 80 anos, morreu quando uma granada o atingiu no rosto.


Ler mais...

FORTE DISPOSITIVO POLICIAL RODEA VOX EN OURENSE

Identificacións de perfil ideolóxico, restricións da liberdade deambulatoria, “cacheos”…

Identificacións de perfil ideolóxico, restricións da liberdade deambulatoria, “cacheos”…

Patrullas da Policía española con axentes equipados con material anti-disturbios, unha dotación da Policía Local e varios axentes á paisana controlaron no pasado sábado (19/02/2019) o exterior do local de Afundación en Ourense onde discursaba o secretario xeral de Vox. O control policial incluía bloqueo das entradas da praza; retención, identificación e revista de determinadas persoas e as súas pertences: limitación da liberdade ambulatoria, etc.


Ler mais...

EN DESTAQUE

  • “É posíbel unha sociedade sem cárcere?”

    O 17 de outubro de 2018, Esculca organizou na Casa do Matadoiro de Compostela unha palestra-coloquio sob o título “É posíbel unha sociedade sem cárcere?” co profesor Iñaqui Rivera Beiras da Universidade de Barcelona, director do Observatori del Sistema Penal i els Drets Humans da UB, recoñecido analista do sistema prisional e constante defensor da redución inmediata da populación reclusa como paso previo ao desencarceramento total da sociedade.

OPINIÓN

  • Son ducias as persoas galegas cumprindo penas fóra do noso País, cando temos nel cinco cárceres (Monterroso, Teixeiro, A Lama, Bonxe e Pereiro de Aguiar), abondas para aloxalas. O problema é que a Administración penitenciaria española usa ás veces o afastamento das persoas presas como mecanismo adicional de represión, en aberta violación da lexislación e xurisprudencia estatal e europea.

  • Hai uniformados de dia que de noite se descontrolan, si. O último ano e medio foi prolífico.

  • Eduardo Zaplana debe ser posto en liberdade por motivos humanitarios sexa cal for a súa participación na corrupción ou sexa cal for a súa estela de sobranzaría e prepotencia.

  • Nos últimos tempos vemos como no Reino de España (e colateralmente no país galego) están a “reconquistar” cota de pantalla, tempo de radio, presenza en artigos, visibilidade nas rúas e até presenza nas institucións, diversos movementos de extrema dereita. Hogar Social, Fundación Francisco Franco ou VOX…

  • O outro día lin casualmente unha noticia sobre a condena a un ano e nove meses de cárcere ao mozo que roubou un bocadillo nunha panadería da súa cidade. A sentenza estimou que o home colleu o bocadillo “coa intención de enriquecerse” e non por un “estado de necesidade porque tiña fame”, tal e como asegurou a súa defensa.