A deputada Paula Verao e o deputado Luís Villares ( (En Marea), registarom o passado 12 de julho umha Interpelaçom ao Governo Galego e umha pergunta para a sua resposta por escrito relativas à morte de um interno no cárcere de Monterroso na madrugada do día 24 de junho, presumivelmente por causa de sobredose de droga, O interno foi achado na sua cela junto com outro preso que se encontrava em estado de coma.

Umha situaçom quem nom é nova, sublinham Verao e Villares, já que desde o ano 2006 praticamente falece umha persoa ao ano por esta mesma causa, segundo dados do próprio Ministério.

O tráfico de drogas no interior do penal foi já denunciado em 2006 por um preso em carta à CNT e, segundo indicam Verao e Villares, existe constáncia de a situaçom nom se ter modificado nesta última década.

Por outra parte, lembram Villares e Verao, o Parlamento de Galiza acordou por unanimidade na sessom plenária do 5 de maio de 2015 reclamar ao Estado as competências de Sanidade Penitenciária, polo que agora perguntam se a Xunta iniciou os trámites para reclamar essa transferência.

Também demandam ao governo galego se tem pensado exigir explicaçons ao Ministério do Interior pola existência de tráfico de drogas no cárcere de Monterroso e reclamar umha investigaçom sobre as condiçons sócio-sanitárias das persoas internas, assim como urgir à Secretaria Geral de Instituiçons Penitenciárias a abertura de umha investigaçom sobre estas mortes.

Finalmente Verao e Villares perguntam se a Xunta tem previsto exigir a melhora das instalaçons no cárcere de Monterroso e, caso ser assim, em que data vai tramitar a solicitude e qual a importáncia do orçamento que crê deberá ser destinado a financiar os trabalhos.

Ver aqui a Interpelaçom.

Ver aqui a pergunta.